ISSN 1807-1783                atualizado em 16 de julho de 2014   


Editorial

Expediente

De Historiadores

Dos Alunos

Arqueologia

Perspectivas

Professores

Entrevistas

Reportagens

Artigos

Resenhas

Envio de Artigos

Eventos

Curtas


Nossos Links



Destaques
Fale Conosco
Cadastro
Newsletter


A (Re)Invenção das Festas Juninas no Interior da Paraíba: a Experiência de Cabaceiras

No decorrer da história, as cidades sempre buscam se inventar e reinventar no intuito, dentre outras coisas, de atrair insumos fiscais, turistas e para que se perceba que não está “parada” no tempo. Isso ocorreu a algumas na cidade de Cabaceiras, como poderá ser percebido no decorrer deste texto. Cabaceiras é uma das cidades onde menos chove no Brasil, comíndice pluviométricomédio anual de 300 mm. No entanto, esse fator, que durante muitos anos foi interpretado como um obstáculo natural ao desenvolvimento do município,começou a ser revertido, a partir do final da década de 1990. A localidade que tinha sido estigmatizada devido à ausência de chuvas e excesso de luminosidadeconsegue transformar essas dificuldades naturais em insumo para sua reinvenção. leia mais

PROFESSORES

O Fiscal de Freguesia, uma Autoridade a Serviço da Municipalidade. Recife, 1829-1849

Cosmopolita desde seu nascedouro, a Recife do século XIX, terceira maior cidade do Brasil, era também espaço de grandes contrastes sociais. Como nos dias atuais, era comum encontrar lixo, criminalidade, descaso das autoridades, falta de policiamento, saneamento, entre outros, em seus logradouros. Havia um misto de possibilidades e desconfiança, crescimento e insegurança. Naquele contexto, a Câmara Municipal era responsável pela administração citadina. Possuindo função normatizadora, sua ação pedagógica no espaço público visava incutir costumes, interditar hábitos ditos não civilizados, governar a urbe. Ao longo do século XIX tornaram-se comuns os discursos higienistas, esteticistas e profiláticos de seus agentes pedagógicos, principalmente através das posturas policiais. leia mais

DOS ALUNOS

A Emergência História de um Acontecimento: A Revista Sui Generis(1994-2000) no Debate Historiográfico

Este texto quer apresentar para o campo dos estudos da história e analisar a revista Sui Generis (1994-2000). Trata-se de um periódico que distribuído mensalmente trazia discursos destinados ao público homossexual, sem ser uma revista pornográfica ou de nus masculinos. Nossa preocupação é situar, aos moldes colocado pela genealogia de Foucault, as condições de emergência que possibilitaram o aparecimento da revista. Durante a trajetória do periódico percebemos que uma preocupação de constante debate na revista foi a questão do armário gay que procuraremos pensar como uma questão construída histórica e culturalmente, tendo nas páginas da Sui Generis um grande canal de difusão. leia mais
Manutenção do Tráfico e a Lei de 1831: Relações Internas e Externas e suas Motivações
Tecer o real implica a codificação e disposição conceitual do mundo em um determinado tempo e lugar histórico, uma forma de expressão do pensamento simbólico. Nesta perspectiva, pretendemos identificar na estrutura poética dos relatos míticos cantados nos primeiros 382 versos de Os trabalhos e os dias pelo aedo arcaico Hesíodo, alterações que marcam o tempo do poeta e que ensejam novos parâmetros intelectuais para os gregos dos séculos seguintes. leia mais

O Culto (Simbólico) da Morte: Uma Abordagem a Partir do Cemitério São João Batista de Guarabira-PB
O cemitério São João Batista está localizado no centro da cidade de Guarabira, Paraíba. Por ser o cemitério mais antigo da cidade, hoje se encontra circundado por residências que avançaram rapidamente ao longo dos tempos. Tendo seu surgimento na segunda metade do século XIX, o cemitério seguiu os parâmetros estabelecidos pelas autoridades da época em construir distante das cidades como medida higiênica. leia mais