ISSN 1807-1783                atualizado em 07 de abril de 2014   


Editorial

Expediente

De Historiadores

Dos Alunos

Arqueologia

Perspectivas

Professores

Entrevistas

Reportagens

Artigos

Resenhas

Envio de Artigos

Eventos

Curtas


Nossos Links



Destaques
Fale Conosco
Cadastro
Newsletter

[ 03 de agosto de 2010 ]

Calvino e as Relíquias Falsas. Educação, arqueologia e a relevância moral do conhecimento do passado na formação do pensamento crítico

Este artigo é resultado de discussões promovidas durante o ano de 2009 e faz parte das atividades do Grupo de Estudos Interdisciplinares entre Teologia e História, desenvolvido conjuntamente na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e na Universidade Presbiteriana Mackenzie, sob a coordenação dos professores João Cesário Leonel Ferreira (Seminário Presbiteriano do Sul e Universidade Presbiteriana Mackenzie) e Pedro Paulo A. Funari (Unicamp). “Arqueologia e geografia bíblica”, disciplina que se oferece aos seminaristas presbiterianos como parte do seu processo formativo, parece que é considerada pelos alunos como fornecedora de conhecimento de pouca relevância para a prática ministerial. Mas, como veremos nas palavras de Calvino, qual seria o proveito de explorar o lado mais mundano, histórico, poético ou material das narrativas religiosas se não for para o proveito da própria atividade do ministro? leia mais

[ 03 de agosto de 2010 ]

Sobre os saberes médicos do processo climatério/menopausa nos séculos XIX e XX

Climatério e Menopausa são conceitos biomédicos que guardam semelhança e se referem a uma etapa comum da vida reprodutiva feminina. Todavia, enquanto o termo menopausa passou a ser utilizado pela medicina somente a partir da segunda década do século XIX, nomeando o evento estritamente feminino caracterizado pela cessação definitiva da menstruação, climatério encontrava-se inscrito na tradição imemorial do pensamento popular antigo, designando períodos da vida, quer fossem de homens ou mulheres, em que ocorriam mudanças significativas no organismo humano. A estes dois conceitos um terceiro veio se juntar, doença do climatério, diagnosticada nas primeiras décadas do século XIX como enfermidade preponderantemente masculina. leia mais

[ 03 de agosto de 2010 ]

Festas de Abolição da Escravidão na província do Grão Pará

Durante o final do século XIX, mais precisamente no fim da década de 80 encontramos no interior da sociedade brasileira um debate bastante acentuado em torno da questão da Escravidão. Instituição que foi introduzida com o processo de colonização português no Brasil, sendo praticado tal modalidade em outras áreas coloniais com um relativo sucesso, haja vista a não adequação do indígena ao processo de trabalho ao qual se tentou estabelecer no interior da colônia durante os primeiros anos de sua ocupação. Nesse sentido, o processo de formação histórica do Brasil está intimamente ligado ao processo de aperfeiçoamento da Escravidão enquanto modelo de colonização. leia mais

[ 03 de agosto de 2010 ]

A Gêneses da Teoria Miasmática e suas Manifestações no Período Imperial

A denominação miasma refere-se às emanações mefíticas originadas de plantas ou animais em decomposição. A origem da palavra vem do grego "míasma–atos" de "miaíno", de “eu tinjo” ou “mancho de sangue”. Sua associação estreita com a morte está ligada às antigas peças teatrais gregas, nas quais borrões de sangue eram utilizados com objetivo simbólico de identificar o assassino com a criação de uma marca, que lhe atribuía a culpa pela morte de alguém. O homicida grego se tornava maculado por seus atos impuros e cruéis impingidos às suas vítimas. leia mais

[ 03 de agosto de 2010 ]

Uma Gota de Sangue

lançamento da obra ora resenhada da autoria de Demétrio Magnoli, sociólogo, geógrafo e membro do GACINT da USP, pode ser considerado um razoável empreendimento editorial levado a cabo pela editora Contexto. Numa entrevista de televisão, o autor se considerou satisfeito pelo fato de o livro estar, então, na terceira reimpressão com um mês de lançado. A vendagem expressiva, considerando a natureza da obra, talvez não seja devida apenas à sua qualidade ou à reputação intelectual do seu autor. leia mais

[ 20 de julho de 2010 ]

Trabalho e segregação urbana: apontamentos a partir de Engels

Pensar a obra como A situação da classe trabalhadora na Inglaterra como atual pode parecer uma contradição, na medida em que esse é um estudo particular de um contexto social de mais de um século e meio. De fato, se pensarmos na lógica de que a classe trabalhadora deixou de existir ou de que o marxismo faliu como método explicativo da sociedade, certamente a obra-prima de juventude de Engels está bastante superada. Por outro lado, se entendemos o capitalismo como um modo de produção da vida ainda existente ou entendemos que a situação dos trabalhadores permanece similar àquela descrita na Inglaterra dos anos 1840, teremos clareza da atualidade da obra de Engels. Essa atualidade pode ser apontada a partir de dois aspectos. leia mais
próximos     anteriores
Manutenção do Tráfico e a Lei de 1831: Relações Internas e Externas e suas Motivações
Tecer o real implica a codificação e disposição conceitual do mundo em um determinado tempo e lugar histórico, uma forma de expressão do pensamento simbólico. Nesta perspectiva, pretendemos identificar na estrutura poética dos relatos míticos cantados nos primeiros 382 versos de Os trabalhos e os dias pelo aedo arcaico Hesíodo, alterações que marcam o tempo do poeta e que ensejam novos parâmetros intelectuais para os gregos dos séculos seguintes. leia mais

Os Guarani Transfronteiriços: A Realidade de quem Existe sem Existir
Neste trabalho, entendem-se como Guarani transfronteiriços os grupos linguisticamente guarani que têm vínculos e dinâmicas socioculturais presentes em mais de um dos seguintes países: Argentina, Brasil e Paraguai. No Brasil vivem pelo menos três grupos linguisticamente guarani: os Kaiowa, os Guarani Ñandeva ou apenas Guarani no Mato Grosso do Sul e, por fim, os Guarani Mbya. leia mais